1995-96

Depois de duas temporadas sem ao menos chegar nas finais de conferência, Jordan e Pippen estavam motivados a levar o Bulls ao seu 4º titulo da NBA. Michael, que havia voltado ao Bulls no final da temporada passada, estava pronto para os 82 jogos. Além disso, o time recebia também uma nova força no garrafão: o Bad Boy Dennis Rodman, que veio do San Antonio Spurs (troca que enviou Will Perdue para o Texas).

A temporada havia começado e ninguém duvidava do potencial desta equipe. Mesmo assim, ninguém poderia prever algo parecido com o ocorrido: uma campanha impressionante, com uma seqüência de 18 vitórias seguidas e aproximavam-se do All-Star break com inacreditáveis e inéditos 41-3. O resultado final foram históricas 72 vitórias e apenas 10 derrotas. Não à toa, Phil Jackson foi eleito o melhor técnico da temporada. E Toni Kukoc ganhou o título de melhor reserva. O Chicago Bulls estava mais forte do que nunca. Entrava nos playoffs como grande favorito e sabia que tal feito não adiantaria sem a conquista do título.

Nos playoffs, o primeiro adversário era o Miami Heat, de Alonzo Mourning. Foram facilmente varridos em 3 jogos. O próximo desafio era contra os Knicks, adversário sempre duro nos playoffs. Mas desta vez, não causou grandes problemas aos “touros” de Chicago e caíram em 5 confrontos.

Nas finais de conferência, o adversário era o Orlando Magic. Os carrascos da temporada passada tinham um forte time liderado por Shaq e Penny Hardaway. Jordan queria vingar-se da eliminação na temporada anterior, quando perdeu a bola nos momentos decisivos do jogo 6 em que o Orlando eliminou o Bulls. Tal motivação apareceu no jogo 1: um massacre de 121 a 83. Rodman sozinho pegou quase a mesma quantidade de rebotes que o time inteiro de Orlando (21 a 28). Depois desse jogo, foram mais três vitórias em sequência e o Magic já era passado.

O Chicago Bulls, novamente, sentia o gosto de alcançar as finais da NBA. Seu adversário era o Seattle Supersonics, que também haviam feito uma excelente temporada. Após arrancar duas vitórias em casa, o time foi para Seattle e venceu o jogo 3 por 108 a 86, com 36 pontos de Jordan. Os “touros” estavam apenas à uma vitória do título, mas Kemp e Payton evitaram uma possível varrida e conseguiram duas vitórias, deixando a decisão para Chicago.

Com grandes atuações de Pippen, Rodman e Jordan, o Bulls venceu o jogo por 87 a 75, conseguindo seu 4º título. Mais do que uma conquista, foi um elenco que fez história e que deixou uma pergunta na cabeça dos fãs de basquete até os dias de hoje: houve um time que parecesse tão invencível quanto esse? Para Scottie Pippen, a resposta é não: “Acho que o Bulls de 96 foi a melhor equipe de tods os tempos. A marca de 72-10 fala por si própria. Tínhamos um jogo dominante, com uma defesa dominante e um ataque muito bom. O nosso jeito de dominar os adversários que nos fez separar de qualquer outro time.”

Scottie tem razão: nunca um time foi campeão da forma que aconteceu em 1995-1996. Somando os playoffs, foram 87 vitórias e 13 derrotas (melhor aproveitamento da história); nunca uma defesa tão forte foi vista em qualquer outro time que já levantou o troféu de campeão; conseguiram impressionantes 33 vitórias fora de casa; o banco sempre conseguia manter o ritmo imposto pelos titulares. Foi uma temporada que ficará para sempre marcada na história do esporte.

OS CAMPEÕES:   

 

  G  

 PPG 

 FG% 

 FT% 

 3P% 

 RPG 

 APG 

 SPG 

 BPG 

 TO 

Michael Jordan

82

30,4

49,5

83,4

42,7

6,6

4,3

2,19

0,51

2,4

Scottie Pippen

77

19,4

46,3

67,9

37,4

6,4

5,9

1,72

0,74

2,68

Toni Kukoc

81

13,1

49,0

77,2

40,3

4,0

3,5

0,79

0,34

1,4

Luc Longley

62

9,1

48,2

77,7

0,0

5,1

1,9

0,35

1,35

1,83

Steve Kerr

82

8,4

50,6

92,9

51,5

1,3

2,3

0,76

0,02

0,51

Ron Harper

80

7,4

46,7

70,5

26,9

2,7

2,6

1,31

0,4

0,91

Dennis Rodman

64

5,5

48,0

52,8

11,1

14,9

2,5

0,56

0,42

2,15

Bill Wennington

71

5,3

49,3

86,0

100,0

2,5

0,6

0,29

0,22

0,52

Jack Haley

1

5,0

33,3

50,0

0,0

2,0

0,0

0,0

0,0

1,0

Jud Buechler

74

3,8

46,3

63,6

44,4

1,5

0,8

0,45

0,09

0,52

Dickey Simpkins

60

3,6

48,1

62,9

100,0

2,6

0,6

0,15

0,13

0,93

James Edwards

28

3,5

37,1

61,5

0,0

1,4

0,4

0,03

0,28

0,75

Jason Caffey

57

3,2

43,8

58,8

0,0

1,9

0,4

0,21

0,12

0,84

Randy Brown

68

2,7

40,6

60,9

9,1

1,0

1,1

0,83

0,17

0,45

John Salley

17

2,1

34,3

60,0

0,0

2,5

0,9

0,47

0,88

0,94

LEGENDA: G= jogos, PPG= pontos por jogo, FGP= % dos arremessos de quadra, FTP= % dos lances livres, 3PP= % dos arremessos de 3, RPG= rebotes por jogo, APG= assistências por jogo, SPG= roubadas por jogo, BPG= tocos por jogo, TO= turnovers por jogo

Anúncios