Scottie Pippen

 

Scottie Pippen
Posição: Ala
Altura: 2,02
Nascido em: 25/09/1965, Hamburg, AR
Universidade: Arkansas
Draftado em: 1987; Round: 1; Equipe: Seattle Supersonics (trocado imediatamente para o Chicago Bulls por Olden Polynice)

Scottie juntou-se ao Bulls quando a equipe estava em processo de formação. Na sua primeira temporada, 1987-1988, já chegou às semifinais de Conferência. O promissor time virou um supercampeão na década de 90, e a sua importância era enorme para a equipe.

Nenhum time torna-se campeão com apenas uma estrela: isso é fato. Por isso que, por mais que Jordan imperasse, alguém teria que aparecer e ajudar a decidir. Mas ninguém fez isso tão bem como Pippen, que está na lista dos 50 maiores jogadores da história da NBA.

All Star Game que era comum ter a participação de Scottie: ele esteve presente em 7 anos (90, 92, 93, 94, 95, 96 e 97). Sua habilidade defensiva lhe rendeu nomeação para o All Defensive Team da NBA por 7 anos entre os anos de 1991 e 2000.

Certamente, Pippen foi um dos maiores jogadores da NBA graças à sua grande performance em playoffs. Era muito comum ver seu jogo crescer na pós-temporada. Em 17 anos de carreira, disputou 16 playoffs e é, depois de Kareem Abdul-Jabbar e Robert Horry, o jogador que mais vezes disputou partidas de pós-temporadas.

Durante o primeiro tri-campeonato, foi o parceiro perfeito de Michael Jordan. Atingiu médias espetaculares nas três campanhas, que beiraram os 20 pontos, 7 rebotes e 7 assistências por jogo.

Conhecido por ser um jogador quase perfeito na marcação, surpreendeu o mundo nos dois anos de ausência de MJ (94 e 95) com um basquete de altíssimo nível, carregando o Bulls aos playoffs nos dois anos. Foi eleito o MVP do All Star Game de 1994 e, para muitos, deveria também ter se tornado o MVP daquela temporada. Foi a resposta perfeita para aqueles que duvidaram da sua capacidade como jogador e que o apontavam como um simples jogador que vivia às custas de Michael Jordan.

Nesse período, mesmo sendo o “dono do time”, teve um pequeno atrito com o GM Jerry Krause, que insistia na contratação do croata Toni Kukoc. Mesmo não sendo muito a favor da contratação do astro europeu, Scottie teve que se contentar com sua chegada. Em uma partida dos playoffs, contra o New York Knicks, o técnico Phil Jackson armou uma jogada no final do jogo para que Kukoc decidisse. A escolha frustrou bastante Pippen, que voltou para o vestiário antes do desfecho da partida. E Toni Kukoc conseguiu dar a vitória ao Bulls naquele jogo.

Com o tempo, os dois se acertariam. Com a chegada de Dennis Rodman e com Michael Jordan à disposição desde o início da temporada, o Chicago Bulls estava ainda mais forte, tendo conquistado mais três campeonatos entre os anos de 1996 e 1998. Mas algumas declarações do então GM Jerry Krause afetariam o futuro de Pippen após a conquista do sexto anel. O dirigente havia declarado que não pretendia contar com o camisa 33 para a temporada seguinte. A declaração pesou também na aposentadoria de Michael Jordan.

Após a saída definitiva de Jordan do Bulls em 98, e enfrentando problemas de relacionamento com Krause, optou por disputar a temporada 1998-1999 em Houston. Um sign and trade o levou para jogar ao lado de Hakeem Olajuwon e Charles Barkley. Entretanto, não houve química com os novos companheiros e no ano seguinte transferiu-se para o Portland Trail Blazers, onde jogaria 4 temporadas antes de voltar em 2003 para encerrar sua carreira em Chicago, após ser contratado como free agent pelo novo General Manager John Paxson.

Na temporada 2003-04, atuou apenas em 23 partidas. Sem muito tempo de quadra, teve média de pouco menos de seis pontos por jogo. Mas sua volta à equipe de Chicago estava mais relacionada à experiência que ele poderia passar ao elenco jovem do que qualquer outra coisa. Kirk Hinrich, que fazia sua temporada de estréia, constantemente ouvia ao que Scottie dizia. Os dois tiveram uma ligação de aprendizagem muito forte durante aquela que seria a última temporada de Pippen na NBA.

A notícia da sua aposentadoria veio no dia 5 de Outubro de 2004. “Essa decisão foi muito difícil pra mim, pois estou me aposentando de algo que representa muito na minha vida. Minha família e eu gostaríamos de agradecer aos fãs e à toda Organização do Chicago Bulls, especialmente Jerry Reinsdorf e John Paxson, por me trazerem de volta a onde comecei tudo. Estou me aposentando mas pretendo continuar por perto. Após 17 anos, é difícil abandonar tudo isso completamente” – disse Scottie Pippen sobre o seu adeus.

Durante os 12 anos em que esteve com o Bulls, Pippen colocou seu nome perto do topo de todas as estatísticas da franquia. Ele é o líder em cestas de 3 pontos (664) e em arremessos de 3 pontos tentados (2,031), além de ser o segundo em outras 12 categorias.

Seus números expressivos o colocam também entre os melhores da história da NBA. Está entre os 40 maiores cestinhas da liga, é o quarto em roubadas de bola (2307), vigésimo terceiro em assistências (6135) e décimo terceiro em minutos jogados (41069).

Além das notáveis características de um talentoso ala, ele ainda tinha elementos como visão de jogo, bom controle de bola e bom passe. Assim como um armador. Essa versatiliadade fez de Scottie Pippen um dos jogadores mais completos que o basquete já viu.

Ao longo de sua carreira, mostrou que o esporte prega algumas peças: Pippen foi fantástico e mostrou que, por uma vontade do destino, sua trajetória coincidisse com a de Jordan, que foi, incontestávelmente, o melhor de todos. Talvez um pouco do seu brilho tenha sido ofuscado. Mas, do outro lado da moeda, o que fazia de Jordan um vencedor dentro do esporte, certamente tinha participação de Scottie.

No dia 9 de Dezembro de 2005, Los Angeles Lakers (comandados por Phil Jackson) e Chicago Bulls se enfrentaram no United Center. No intervalo do jogo, sua camisa 33 foi oficialmente retirada no United Center. Estavam presentes na cerimônia, além de Phil Jackson e de sua família, seus ex-companheiros Randy Brown, Craig Hodges, Stacey King, Dennis Rodman, Horace Grant, Bill Wennington, Charles Oakley, Will Perdue, Michael Jordan e Toni Kukoc (provando que não havia mais nenhum atrito entre os dois), além de muitos outros ex-jogadores.

Alguns de seus feitos na carreira:

  • 6 vezes Campeão da NBA – 1991, 1992, 1993, 1996, 1997 e 1998;
  • Participou de 16 playoffs em 17 temporadas disputadas;
  • 7 vezes All-Defensive First Team ( entre 1991 e 2000);
  • 7 vezes All Star – 1990, 1992, 1993, 1994, 1995, 1996 e 1997 – sendo MVP em 1994;
  • Duas vezes medalha de ouro nas Olimpíadas – 1992 e 1996;
  • Suas maiores marcas na carreira foram: 47 pontos (contra o Denver Nuggets 2/18/97), 18 rebotes (contra o New York Knicks 31/03/1992), 15 assistências (2 vezes), 9 roubadas (contra Atlanta Hawks 08/03/1994) e 5 tocos (5 vezes);
  • 20 triple-doubles na carreira;
  • Segundo jogador com mais partidas disputadas, 208 (atrás de Kareem Abdul-Jabbar, 237);
  • Maior roubador de bolas (232, sendo 2.9 por jogo) na temporada 1994-95.

Carreira:
Com o Chicago Bulls (dos 22 aos 32 anos e aos 38)

Ano

Jogos

PPG

FG%

3P%

FT%

RPG

APG

SPG

BPG

 TO

1987-88

79

7.9

46.3

17.4

57.6

3.8

2.1

1.2

0.7

 1.7

1988-89

73

14.4

47.6

27.3

66.8

6.1

3.5

1.9

0.8

 2.7

1989-90

82

16.5

48.9

25.0

67.5

6.7

5.4

2.6

1.2

 3.4

1990-91

82

17.8

52.0

30.9

70.6

7.3

6.2

2.4

1.1

 2.8

1991-92

82

21.0

50.6

20.0

76.0

7.7

7.0

1.9

1.1

 3.1

1992-93

81

18.6

47.3

27.3

66.3

7.7

6.3

2.1

0.9

 3.0

1993-94

72

22.0

49.1

32.0

66.0

8.7

5.6

2.9

0.8

 3.2

1994-95

79

21.4

48.0

34.5

71.6

8.1

5.2

2.9

1.1

 3.4

1995-96

77

19.4

46.3

37.4

67.9

6.4

5.9

1.7

0.7

 2.7

1996-97

82

20.2

47.4

36.8

70.1

6.5

5.7

1.9

0.5

 2.6

1997-98

44

19.1

44.7

31.8

77.7

5.2

5.8

1.8

1.0

 2.5

2003-04

23

5.9

37.9

27.1

63.0

3.0

2.2

0.9

0.4

 1.3

LEGENDA: PPG= pontos por jogo, FGP= % dos arremessos de quadra, FTP= % dos lances livres, 3PP= % dos arremessos de 3, RPG= rebotes por jogo, APG= assistências por jogo, SPG= roubadas por jogo, BPG= tocos por jogo, TO= turnovers por jogo