1992-93

Início de temporada; e o grande desafio era fazer um time, que já havia vencido dois títulos em seqüência, continuar com a gana de vencer novamente. Apenas dois times haviam conquistado três títulos seguidos anteriormente. O começo de temporada não foi como os outros. Um time com várias contusões que não conseguia manter o mesmo ritmo de antes. Mesmo assim era um time de respeito, que fechou a temporada regular com 57 vitórias e 25 derrotas, a 3ª melhor campanha no geral.De volta aos playoffs e de volta ao grande basquete de sempre. O time já estava completo novamente e quem sofreu com isso foi o Atlanta Hawks, que viu um Bulls com muita energia fechar a série em 3 a 0 rapidamente.

O Cleveland estava no caminho do Bulls novamente, dessa vez pela semifinal de conferência. Sem dar chance alguma, o Bulls venceu as duas partidas no Chicago Stadium e também os jogos fora, fechando em 4 a 0.

Outro velho adversário pela frente: o New York Knicks. Dessa vez, sem a vantagem do mando de quadra. Jogar no Madison Square Garden era quase a garantia de vitória para o Knicks, fato que se comprovou nos dois primeiros jogos da série, com duas derrotas para o bi-campeão Bulls. John Starks anulou o jogo de Michael Jordan, que teria que jogar muito mais para evitar a eliminação. E foi isso que aconteceu, com o Bulls sendo o 1º time a reverter uma situação desfavorável de 2 a 0, para uma favorável de 4 a 2.

Na final era a vez de encarar o poderoso Phoenix Suns, de Charles Barkley. Ele foi o jogador mais valioso da temporada e o Suns a equipe de melhor campanha. O Bulls começou a série com tudo e fez o Phoenix se tornar o 1º time a perder os dois primeiros jogos de final em casa. No 3º jogo, agora em Chicago, uma partida histórica que só teve fim na 3ª prorrogação com a vitória do time de Phoenix. No 4º jogo um show de Jordan: 55 pontos; e a série estava 3 a 1 para o Chicago. Na 5ª partida a festa estava preparada em Chicago, todos esperavam uma nova vitória e o 3º título. Porém o que aconteceu foi uma surpreendente vitória do time visitante e a série voltando para Phoenix. No jogo seis, equilíbrio até o fim. O jogo estava 98×96 para o Suns, faltando poucos segundos e com a posse de bola do Chicago. Jordan havia anotando todos os pontos do Bulls no 4º período. Parecia óbvio que a última jogada seria com ele, que já havia decidido jogos assim tantas vezes em sua carreira. Com toda a marcação em cima de Jordan, quem brilhou foi John Paxson, que converteu uma cesta de três (foto) e deu a vitória e o 3º título consecutivo ao Chicago Bulls.

 OS CAMPEÕES:   

 

  G  

 PPG 

 FG% 

 FT% 

 3P% 

 RPG 

 APG 

 SPG 

 BPG 

 TO 

Michael Jordan

78

32,6

49,5

83,7

35,2

6,7

5,5

2,83

0,78

2,65

Scottie Pippen

81

18,6

47,3

66,3

23,7

7,7

6,3

2,13

0,9

3,07

Horace Grant

77

13,2

50,8

61,9

20,0

9,5

2,6

1,15

1,24

1,42

B.J. Armstrong

82

12,3

49,9

86,1

45,3

1,8

4,0

0,8

0,07

1,01

Scott Williams

71

5,9

46,6

71,4

0,0

6,4

1,0

0,77

0,92

1,02

Bill Cartwright

63

5,6

41,1

73,5

0,0

3,7

1,3

0,31

0,15

0,98

Stacey King

76

5,4

47,1

70,5

33,3

2,7

0,9

0,34

0,26

0,92

Trent Tucker

69

5,2

48,5

81,8

39,7

1,0

1,2

0,34

0,08

0,26

Will Perdue

72

4,7

55,7

60,4

0,0

4,0

1,0

0,3

0,65

1,02

John Paxson

59

4,2

45,1

85,0

46,3

0,8

2,3

0,64

0,03

0,52

Rodney McCray

64

3,5

45,1

69,2

40,0

2,5

1,3

0,18

0,23

0,82

Ricky Blanton

2

3,0

42,9

0,0

0,0

1,5

0,5

1,0

0,0

0,5

Darrell Walker

28

2,6

40,3

50,0

0,0

1,4

1,6

0,82

0,07

0,42

Corey Williams

35

2,3

36,5

81,8

33,3

0,9

0,7

0,11

0,05

0,31

Joe Courtney

5

2,2

44,4

75,0

0,0

0,4

0,2

0,4

0,2

0,6

Ed Nealy

11

2,1

43,5

100,0

20,0

1,5

0,2

0,27

0,09

0,18

Jo Jo English

6

1,0

30,0

0,0

0,0

1,0

0,2

0,5

0,3

0,67

LEGENDA: G= jogos, PPG= pontos por jogo, FGP= % dos arremessos de quadra, FTP= % dos lances livres, 3PP= % dos arremessos de 3, RPG= rebotes por jogo, APG= assistências por jogo, SPG= roubadas por jogo, BPG= tocos por jogo, TO= turnovers por jogo