Rodrigo Alves

Deng e Hinrich com médiass menores do que no ano passado.Será que isso continuará?Teremos a honra de receber Rodrigo Alves. O comentarista da Sportv e da “globo.com” é também editor do blog Rebote.

Rodrigo analisa todas os erros que o Chicago Bulls cometeu até agora na temporada e ainda revela o time que torcia quando começou a acompanhar NBA.

Muita expectativa foi criada para essa temporada do time de Chicago ,e até agora, um início decepcionate. Como explicar?

Desde 2004-05, quando o Chicago voltou aos playoffs pela primeira vez sem Michael Jordan, os inícios de temporada têm sido muito ruins: 0-9 (2004-05), 3-5 (2005-06), 3-9 (2006-07), e agora 2-8. Desta vez, acho que o time já tem entrado em quadra derrotado. Foi assim contra o Denver, no jogo que eu comentei na Globo.com na terça-feira. Parecia um bando, arremessando de qualquer jeito e com uma defesa que não é nem sombra da muralha dos últimos anos. Como o elenco é basicamente o mesmo e o técnico também, fica difícil explicar o fracasso. Talvez o clima no vestiário não esteja tão bom – Ben Wallace se recusou a ser capitão, Deng e Gordon não quiseram renovar os contratos, Skiles já reclamou de Noah e Thomas. Mas de longe é difícil opinar.

Você acha que a negociação com o Kobe foi mal feita, uma vez que ela ficou ainda mais difícil depois de ter vazado? Esse fator pode ter atrapalhado? E a não renovação do Deng e Gordon também pode ter alguma influência?

Eu, se fosse o Paxson, não abriria mão daquele pacote Deng-Gordon-Noah-Thomas pelo Kobe. Mesmo com o início ruim, o elenco do Chicago é bom. Um astro cairia muito bem, claro, mas não adianta trazer o astro e destruir a base. Parece claro que a não renovação do Deng tem influenciado no jogo dele, mas não creio que isso possa servir de desculpa. Sou fã do Deng e acho que ele é um excelente jogador, mas não vejo motivo para ficar deprimido só porque não renovou o contrato.

E ver a torcida gritando nome do Kobe? Parece até torcida de time grande no Brasil. Isso não aconteceu em temporadas anteriores. Será que a torcida perdeu a paciência com o time e a direção?

Estava na cara que, com as derrotas, a torcida gritaria o nome do Kobe. É uma reação natural. A expectativa para este ano era de que o Chicago evoluísse e colocasse sua bandeira de vez na elite da NBA. O que aconteceu foi o contrário: o time regrediu e caiu de qualidade. Para piorar, isso aconteceu logo após ter encerrado as negociações para trazer o melhor jogador de basquete do planeta na atualidade. A reação da torcida não poderia ser diferente. O que não pode, no meu entender, é a diretoria cair nessa e tomar decisões precipitadas.

Temos visto que o Boston, que teve a segunda pior campanha na temporada passada, investiu em craques em prol de jovens talentos. Você acha que o Bulls poderia ter feito isso? Você não acha o Paxson foi muito conservador nas negociações? Agora tem um novo rumor envolvendo o Gasol. Que jogadores você teria colocado nessas possíveis trocas?

A situação do Boston não tem nada a ver com a do Chicago. O Chicago foi aos três últimos playoffs – sendo que no último varreu o campeão – e vinha evoluindo a cada ano. Com um elenco jovem e talentoso, conseguiu ficar entre os melhores do Leste. O Boston, time mais tradicional da NBA, estava no fundo do poço. O elenco tinha alguns jovens promissores, mas nem se comparava com o dos Bulls. Em Boston, era preciso um choque de gestão. Foi o que Danny Ainge fez. Sobre o Gasol, acho que cairia como uma luva. Eu daria Noah e Thomas por ele de olhos fechados. Com o Deng, eu já pensaria duas vezes – se bem que seria interessante um quinteto Wallace-Gasol-Nocioni-Gordon-Hinrich, não acha?

Para finalizar,o que você achou das escolhas do draft do time? Foram as melhores opções ou você acha que o Paxson poderia ter escolhido outros jogadores?

A princípio, não achei o Noah a melhor escolha para o Chicago. O time precisa de homens de garrafão que pontuem, não é exatamente o caso dele. Em compensação, não sei se o draft deste ano tinha opções muito melhores. Talvez o Sean Williams, que acabou com o New Jersey em 17º – apesar de ser um defensor, ele já vinha evoluindo ofensivamente no Boston College e agora tem quase 10 pontos de média. Mas quando chegou a nona posição e o Noah ainda estava disponível, a diretoria optou por um jogador com boa experiência e dois títulos universitários. Seria um exagero condenar o Paxson por isso. Quanto aos outros dois: não levo muita fé no Gray, acho muito pesadão, e o Curry não vi jogar – nem vou ver, né, agora que ele foi para a D-League.

Desde já agradecemos a sua atenção e deixamos um espaço para algum comentário para os torcedores do Bulls…

Eu é que agradeço, vocês estão de parabéns pelo site. Quando eu era adolescente e comecei a acompanhar a NBA, era pelo Chicago que eu torcia – acho que, depois de muita gente ter perguntado, estou falando isso publicamente pela primeira vez. Até hoje, claro, tenho muita simpatia pelo time, e acredito sinceramente que a fase ruim é passageira. Paciência pessoal, daqui a pouco as coisas vão melhorar. Abraços a todos.

* Entrevista realizada em 22 de novembro de 2007.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑