O Segundo Tri: 1995-1998

A temporada de 1995-1996 começava com o Chicago Bulls tentando se figurar como principal equipe da liga. Com a aquisição de Dennis Rodman para a vaga de ala de força titular e com Jordan de volta à velha forma, o time base era: Luc Longley (pivô australiano adquirido durante a temporada passada do Minnesota Timberwolves em troca de Stacey King), Dennis Rodman, Scottie Pippen, Michael Jordan e Ron Harper (armador que assinou como free agent também na temporada anterior). O resultado foi melhor do que o esperado: foram 72 vitórias e apenas 10 derrotas. Em casa, eram quase invencívies (perderam apenas duas) e passaram o mês de janeiro de 1996 sem perder nenhum jogo. Além de todos os feitos, foram os únicos campeões da história a não perderem jogos consecutivos durante a temporada regular (perderiam dois jogos consecutivos apenas para o Seattle Supersonics, nos jogos 4 e 5 das finais).

Com essa campanha, o Bulls levou a maioria dos prêmios possíveis: Michael Jordan foi o MVP da temporada e do All-Star Game, além de liderar a liga em pontos (30.4 por jogo). Pippen contribuiu com seus 19.4 pontos, 6.4 rebotes e 5.9 assistências por jogo. Steve Kerr, vindo do banco, ajudava com média de 51.4% de aproveitamento de 3 pontos. Rodman, que tinha como principal habilidade pegar rebotes, liderou a liga no quesito com 14.9 por jogo. Toni Kukoc, que com a chegada de Rodman foi para o banco, ganhou o prêmio de melhor reserva da temporada; o croata viu seu jogo melhorar depois que virou reserva: não era necessário mais ser um grande reboteiro, bastava entrar em quadra e contribuir. Por fim, o trio Rodman, Jordan e Pippen foram nomeados para o time de defesa da liga.

Nos playoffs, o Bulls varreu o Miami Heat (3-0), o New York Knicks (4-1) e o Orlando Magic (4-0). Na final, venceu no jogo 6 a série contra o Seattle Supersonics e, novamente, era campeão da NBA. Somando temporada e pós-temporada, o Chicago Bulls conseguiu a melhor campanha da história da liga: 87 vitórias e 13 derrotas. Jordan foi o MVP das finais pela quarta vez e, junto com o time, escreveu o nome nos anais da NBA.

Para a próxima temporada, mesmo com as contusões de Toni Kukoc e Luc Longley e as suspensões de Dennis Rodman, a equipe conquistou 69 vitórias e 13 derrotas (não atingiu as 70 vitórias porque perdeu três de seus últimos quatro jogos da temporada regular). Passando nos playoffs por Washington Bullets (4-0), Atlanta Hawks (4-1) e Miami Heat (4-1), o Bulls enfrentou o Utah Jazz na final da NBA e conquistou o quinto campeonato após seis partidas. Michael Jordan continuou fazendo história: novamente foi o cestinha da temporada com média de 29.6 pontos por jogo e atingiu a marca dos dois mil pontos pela décima vez na carreira, além de ter sido o primeiro jogador a fazer um triple-double no All-Star Game. Nesse mesmo final de semana, Steve Kerr conquistou o campeonato de 3 pontos.

Após o título e de ter sido o MVP das finais pela quinta vez, Michael Jordan e Phil Jackson assinaram mais um ano de contrato para tentarem mais um tri-campeonato na década. Entretanto, não seria tão fácil. Na verdade, essa temporada parecia a mais difícil de ser conquistada. Scottie Pippen ficaria fora dos 35 primeiros jogos da equipe devido à uma cirurgia no pé esquerdo. O começo de campanha não parecia em nada com os dois anteriores: 12-9. Com o acerto do time e com a volta de Scottie, o Chicago Bulls terminaria com uma campanha de 62 vitórias e 20 derrotas (empatados com o Utah Jazz como melhor campanha da liga, mas perdendo no desempate). Jordan, ainda o principal jogador da liga, recheou ainda mais sua coleção de prêmios: nomeado para o time de defesa, time principal da liga e MVP do All-Star Game de 1998. Seus 28.7 pontos de média lhe renderam o décimo título de cestinha da NBA.

Na pós-temporada, O Chicago Bulls despachou o New Jersey Nets (3-0) e o Charlotte Hornets (4-1) antes de travar uma memorável batalha com o Indiana Pacers nas finais da Conferência Leste. O time dirigido por Larry Bird conseguiu levar a disputa até o jogo 7 da série. Foi apenas a segunda vez durante a dinastia de títulos que um time conseguiria sobreviver até o jogo 7 frente o Bulls (a primeira foi o New York Knicks em 1992). Entretanto, o Chicago Bulls conseguiria vencer e avançar às finais da NBA mais uma vez.

Com vantagem no desempate (venceu o Bulls duas vezes na temporada), o Utah Jazz tinha o mando de quadra. Mais uma vez em 6 jogos, vencendo dois fora de casa, o Chicago Bulls tornava-se hexa-campeão. O jogo 6 ficará para sempre na memória dos fãs de basket após Michael Jordan roubar a bola de Karl Malone nos segundos finais e acertar um arremesso que viraria o placar (lance conhecido como “The Shot”). Foi o MVP das finais de novo.

Após muita celebração, os torcedores não sabiam com quem eles poderiam contar na temporada seguinte: Phil Jackson tinha anunciado que não renovaria seu contrato. E saber se Rodman, Pippen e Jordan voltariam era ainda uma incógnita.

Anúncios

WordPress.com.

Acima ↑