Novas Promessas

6358799025607727161421658546_nba-draft-logo_0

Bulls agenda entrevistas com alguns jogadores, enquanto que outros jovens podem pintar na Free Agency. Confira aqui aqueles que podem fazer parte do futuro da franquia.

A temporada para Chicago terminou. Agora, focados no draft que acontecerá em junho (23/06), o time volta suas atenções para os futuros jogadores da liga. Na última quinta-feira, aconteceu na Cidade dos Ventos o draft combine, onde os jogadores fazem testes físicos, de habilidades e também técnicos, mostrando para os scouts da liga do que podem ser capazes.

O time de Illinois, representado pelo técnico, Fred Hoiberg, e do principal jogador da última temporada, Jimmy Butler, observaram os calouros e a franquia já definiu alguns que serão os entrevistados. Confira quem são os escolhidos (via @chicagobullsbot).

Kris Dunn – PG, Providence (Junior)

 

19434256-mmmainJá não é segredo que o Bulls dará prioridade para buscar um PG nesse draft e Kris Dunn (foto) é o melhor dessa classe. O armador fechou seu segundo ano pela Universidade de Providence com bons números (16.4 ppg, 5.8 reb rpg, 6.2 apg – segunda melhor marca da NCAA em 2016 – e 2.5 spg) e se destaca pelo jogo atlético e no um contra um. Seu número alto de turnovers, jump shot e as lesões, acabam pesando contra o calouro, mas nada que o tire de sair entre as cinco primeiras escolhas. Os mocks o colocam entre a escolha 4 e 6, e se tudo ocorrer conforme o script da loteria, deve ser o alvo do New Orleans Pelicans, que também busca um PG. Para o Bulls, só tem dois caminhos: ser sorteado para ser o top 3 (Simmons e Ingram devem sair nas duas primeiras escolhas) ou conseguir o jogador através de trocas. Lembrando que o sorteio da loteria acontece na terça, e Chicago tem 1,8% de chances de ficar entre os três primeiros no draft. Dunn, inclusive, já foi entrevistado pela franquia.

Isaiah Whitehead – SG, Seton Hall (Sophomore)

 

whiteheadMais um guard que interessa aos Bulls é Isaiah Whitehead (foto), de Seton Hall. O Sophomore teve dificuldades no seu primeiro ano, devido as lesões que o tiraram da NCAA. Em seu segundo ano na universidade, teve médias de 17 pontos por jogo, porém, com aproveitamentos abaixo de 40% nos chutes, sejam eles de 2 (38,2%) e de 3 (35%). Sua mecânica de arremesso é um problema a ser resolvido. O atleta está sendo cotado para sair nas últimas escolhas do draft (entre 55 e 60) e Chicago terá uma escolha de segunda rodada (18 – 48 no geral) nesse draft. Caso escolha Whitehead, será uma grata surpresa. Estará no workout da equipe dia 23.

Yogi Ferrell – PG, Indiana (Senior)

 

NCAA BASKETBALL: JAN 26 Indiana at Wisconsin

Outro armador da classe que fará um workout particular nos Bulls semana que vem é Yogi Ferrell (foto), que defendeu a universidade de Indiana nos últimos quatro anos. Seu jogo rápido e velocidade chamam a atenção dos olheiros, comparando a jogadores da atual NBA como Isaiah Thomas, do Boston Celtics. Sua defesa é o ponto fraco, seja com ou sem a bola, mas acaba compensando com energia e foco em quadra. A princípio, não está cotado para sair no draft.

Patrick Miller – Guard, Texas Legends (D-League)


Esse jogador não estará no draft, por já ser profissional, mas tem grandes chances de estar no elenco para a Summer League, que acontecerá em julho. Patrick Miller, armador do Texas Legends da Liga de Desenvolvimento (D-League), tem forte interesse dos Bulls em adquiri-lo.

Demetrius Jackson – PG, Notre Dame (Junior)

 

54790618d4784.imageUm sonho mais viável para a franquia caso Kris Dunn não seja escolhido é Demetrius Jackson (foto), armador de Notre Dame. Outro bom nome dessa classe, tem como pontos fortes seu jogo explosivo, com a mesma facilidade para pontuar e distribuiur o jogo, chegando a ser comparado, no ano passado, com Russell Westbrook, do Oklahoma City Thunder. Porém, suas habilidades como armador e liderança, segundo os scouts, precisam ser desenvolvidas. Assim como Dunn, já foi entrevistado pela franquia e está para ser escolhido no meio do draft (Bulls, se não for sorteado, terá a 14ª escolha assegurada).

Jaylen Brown – SG/SF, California (Freshman)

 

503331

Cotado para sair entre as dez primeiras escolhas, Jaylen Brown (foto) tem como trunfos seu atleticismo (não por sua força, mas pelo seu alto nível atlético), combinando força e velocidade como ninguém, ainda mais pela sua idade (19 anos). Porém, precisa desenvolver seu chute, para não depender somente de seu jogo físico. Sua entrevista com o Bulls ocorreu durante a última semana.

Marquese Chriss – PF, Washington (Freshman)

 

56a66d141f000050002169cc

Um dos Power Fowards mais promissores da classe, Marquese Chriss (foto), tem como atributos seu atleticismo, controle de corpo e explosão (semelhante a Jaylen Brown), combinação ideal para os jogadores ‘modernos’ da posição na NBA. Chriss também conta com seu chute de longa distância que para a posição (21/60, 35%), está OK. Seu principal problema é no garrafão. Seus 4.1 rebotes por partida na última NCAA (per 40 minutes) não agradam, tanto que seus números na tábua só não piores que de Thaddeus Young (quanto esteve no universitário) nos últimos 30 anos. Mas Young conseguiu melhorar seus números quando foi para a NBA, e no caso de Chriss, também pode ser ajustado assim que entrar na liga. Já foi entrevistado pelos Bulls no dia 12.

Egidijus Mockevicius – C, Evansville (Senior)

 

UC_Irvine_Evansville__Jone_1_r600x400“Fora do Radar”, o lituâno Egidijus Mockevicius (foto) é considerado um dos 20 melhores Seniors dessa classe. Sua habilidade no garrafão impressiona demais, e em sua última temporada por Evansville, quase terminou com médias de 20-20 (19.5 ppg e 17.6 rpg). Seus números na área pintada está entre os melhores de toda a história do college, igualando ninguém menos que Shaquille O’Neal no top 10 do college (em 10º). O pivô foi eleito para o time ideal de sua conferência nas últimas duas temporadas e para o time de defesa das últimas três. Mas seu jogo se limita apenas a isso. No ataque, ele só sabe ir bem quando está perto da cesta. Longe dela, fica nulo. Individualmente, na defesa, segundo os scouts, não causa tanto impacto a não ser na tábua, seja pegando rebotes ou distribuindo tocos (3.5 se jogasse 40 minutos). Seu workout com o Bulls já foi marcado, mas a data não foi revelada.

Marcus Lee – PF, Kentucky (Junior)

 

Mais um homem de garrafão que teve seu workout marcado pelos Bulls, é Marcus Lee, de Kentucky. O PF não teve números que chamaram a atenção na NCAA (6.4 ppg, 6.0 rpg e 1.6 bpg), mas teve seu nome veiculado na última semana. Seu primeiro dia no draft combine não foi dos melhores (4 pts, 1-6 fg, 3 reb e 6 faltas), mas se o Bulls viu talento no Felício e acertou contratando o pivô brasileiro, por que duvidar de Lee?

Denzel Valentine – SG/SF, Michigan State (Senior)

 

19722066-mmmainEle não estava programado para ser um dos entrevistados pelo time, mas depois que declarou que ‘adoraria jogar nos Bulls’, pode ser considerado um dos candidatos a ser escolhido no draft. Um dos alas mais cobiçados, Denzel Valentine tem tudo para sair no meio da primeira rodada, mas Chicago terá concorrência pesada, pois nada menos do que 13 equipes irão entrevistá-lo após o draft combine. Sua liderança em quadra é sua principal virtude, sem contar seu jogo, que é considerado completo. Porém, tem dificuldades contra jogadores mais habilidosos quando tem que marcá-los, e precisa melhorar seu jogo atlético.

Malik Newman – PG, Mississippi State (Freshman)

 

Jogador projetado para sair na segunda rodada do draft, o armador Malik Newman é mais um preterido pelos Bulls (workout sem data divulgada). Sua qualidade com a bola na mão e errando pouco (1.8 tpg) ajudam o garoto, que é considerado um combo guard. No jogo de meia quadra, Newman mostra eficiência em pick and rolls (fazendo pontos ou dando assistências), mas não é agressivo o bastante (médias de 2.6 fta), em caso de chamar o jogo para si.

Georges Niang – SF/PF, Iowa State (Senior)

 

101714-CBK-cyclones-georges-niang-shoots-free-throw-ahn-PI.vresize.1200.675.high.38Nome conhecido de Fred Hoiberg (comandou o atleta quando era técnico de Iowa State), o ala Georges Niang (foto) fez sua primeira aparição no draft combine e teve bons números (20 pts, 3 reb, 3 ast, 1 stl, 7-10 fg), exceto pelos erros (4). Ele não está cotado para ser draftado e por ser seu último ano na universidade, pode pintar na equipe via Free Agency, já que a equipe poderá assinar com o jogador não draftado após a seleção, dia 23 de junho. Seu jogo ofensivo chama a atenção, mas teve lesão séria no tendão de Aquiles enquanto esteve no college, o que limita em algumas ocasiões.

Caso apareça mais algum jogador que o Bulls vai analisar, postaremos aqui.

Uma resposta para “Novas Promessas

  1. Creio q Valentine pinte pelo bullsão da massa

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s