Michael Jordan 50 Anos – Ascensão Nacional

Michael Jordan Tomahawk DunkO BullsBrasil escreve, em uma série de posts, a trajetória de Michael Jordan, que completa essa semana 50 anos de vida. Contando detalhes sobre a vida e carreira do maior jogador de basquete todos os tempos.

*Para os leitores que não puderam ver o post anterior, clique aqui para matar suas curiosidades.

O BOOM Comercial

Jordan Brand LogoEm 1984, Michael já usava uma linha de tênis (os Jordans) nos jogos da NBA, e por conta disso, a marca esportiva detentora da linha (Nike) viu o camisa 23 como uma mina de ouro, mudando o nome de linha de sapatos com um algo a mais: os Air Jordan’s, baseado nos voôs que MJ fazia em suas enterradas. Seus sapatos começaram a ser vendidos para o público apenas no ano seguinte, em 1985.

Hoje, os Air Jordans são vistos nos pés de muitos atletas, celebridades e bancam algumas universidades, que são patrocinados pelo mesmo. Vejamos alguns:

  • Chris Paul (NBA, Los Angeles Clippers);
  • Carmelo Anthony (NBA, New York Knicks);
  • Russell Westbrook (NBA, Oklahoma City Thunder);
  • Ray Allen (NBA, Miami Heat);
  • Joe Johnson (NBA, Brooklyn Nets);
  • Blake Griffin (NBA, Los Angeles Clippers);
  • Kevin Martin (NBA, Oklahoma City Thunder);
  • Richard Hamilton (NBA, Chicago Bulls);
  • Derek Jeter (MLB, New York Yankees);
  • CC Sabathia (MLB, New York Yankees);
  • Andre Johnson (NFL, Houston Texans);
  • Michael Crabtree (NFL, San Francisco 49ers);
  • Spike Lee (Cineasta);
  • Damon Wayans (Ator e diretor);
  • Eminem (Cantor);
  • North Carolina Tar Heels (Basquete Universitário);
  • Georgetown Hoyas (Basquete Universitário).

Isso sem contar seus ex-membros. Entre eles:

  • Dwyane Wade (NBA, Miami Heat);
  • Jason Kidd (NBA, New York Knicks);
  • Mitch Richmond (NBA, aposentado);
  • Reggie Miller (NBA, aposentado);
  • Gary Payton (NBA, aposentado);
  • Nick Anderson (NBA, aposentado);
  • Randy Moss (NFL, San Francisco 49ers);
  • Deion Sanders (NFL, aposentado).

A Primeira Grande Queda (1985-86)

Em 1985, Chicago começava a dar pinta de brigar no topo da NBA, mas as coisas mudaram no dia 29 de outubro daquele ano.

Jordan Broken FootNesse dia, contra os Warriors, Jordan sairia machucado de quadra, após quebrar o seu pé esquerdo (foto). Desde então, os Bulls, que começavam com uma camapanha 3-0, começara a cair de rendimento drasticamente.

Em 15 de Março de 1985, Jordan retornaria as quadras no jogo contra os Bucks, vendo Chicago com uma campanha nada animadora (24-44).

Vindo do banco, MJ retornava aos poucos, para pegar ritmo. O time continuava a perder muitos jogos, tando que terminou a temporada com uma campanha de 30 vitórias e 52 derrotas. Mas como a liga naquela época tinha menos times do que temos hoje, os Touros foram para a pós-temporada, sabendo que enfrentariam uma máquina chamada Boston Celtics, do MVP da temporada: Larry Bird.

Nasce um Gênio (ABR-1986)

A série entre Chicago e Boston seria daquelas que não teriam tantas emoções, se contarmos apenas a campanha de ambos, mas não foi isso que se viu.

No jogo 1 da série, Michael, 100% recuperado de lesão, fez 49 pontos dentro do Boston Garden, na derrota da equipe de Illinois por 123-104. Após o jogo, Jordan daria uma entrevista, contando sobre sua contusão e as prespectivas sobre a série contra os C’s.

april-20th-1986-michael-jordan-scores-a-historical-63-points-00-570x523No jogo 2 (20 de abril de 1986), Jordan deixou a alma em quadra naquele jogo, e conseguiu uma de suas maiores atuações na carreira. Com apenas 23 anos, se tornou o jogador a marcar mais pontos (63 pts) em uma partida de pós-temporada, superando Elgin Baylor que ostentava o recorde anterior (61 pts). Desde então, nenhum jogador na história da NBA conseguiu superar a marca de Michael nos playoffs.

Além dos pontos, MJ foi um gigante em quadra (6 reb, 5 ast, 3 stl, 2 blk), mesmo com sua equipe perdendo em duas prorrogações, por 135-131. Larry Bird, um dos grandes jogadores da história, se rendeu ao camisa 23: “Eu acho que ele é Deus disfarçado de Michael Jordan”.

Em Chicago, Boston varreria os Touros dos playoffs, e seguiria rumo ao seu 16° título de sua história, mas com um lembrete a todos os times da NBA: Chicago está voando, com Michael Jordan.

Uma Máquina de Pontos (1986-87)

No início da temporada de 1987, Jordan se tornava o primeiro jogador, depois do mito Wilt Chamberlain, a marcar 90 ou mais pontos nos dois primeiros jogos da liga. As vitímas foram New York Knicks no MSG (vitória por 108-103), no dia 1 de Novembro (50 pts) e no dia seguinte em Cleveland (vitória por 94-89), contra os Cavaliers (41 pts).

Contando esses jogos, Jordan emendou uma sequência de 20 jogos com pelo menos 20 pontos. Sendo que:

  • Três jogos com 20+ pontos;
  • Quatro jogos com 30+ pontos;
  • Treze jogos com 40+ pontos, sendo que nove deles vieram de forma consecutiva;
  • E um jogo com 50+ pontos.

Durante essa fase, MJ anotou dois de seus carrer-highs. O primeiro (28/11/86), foi de rebotes ofensivos (8) na derrota de Chicago para os Lakers em Los Angeles por 110-103. O segundo aconteceu dois jogos depois (2/12/86) contra os Sonics em Seattle, quando Jordan distribuiu 6 tocos na vitória de sua equipe por 115-109 na prorrogação.

À exceção do jogo contra os Bucks (11 pts) no dia 13 de dezembro daquele ano, Michael anotou 20+ pontos em todos do jogos antes do All-Star Weekend da temporada, que aconteceria em Seattle.

michael_jordan_trophy_slam_dunk_contest2No concurso de enterradas daquele ano, sem Dominique Wilkins, Jordan venceria seu primeiro título (foto) em cima de Jerome Kersey, do Portland Trail Blazers, e ali, se juntaria a Larry Nance, Wilkins e Spud Webb, como campeões do evento.

Pós-ASG, Jordan anotaria mais dois carrer-highs: o de lances livres cobrados (27) e convertidos (26), sem contar que ali, até então, anotaria sua maior marca em pontos na carreira em jogos da temporada regular (58 pts) na vitória dos Bulls por 128-113 contra os Nets.

Quatro jogos depois, Michael quebrava a barreira dos 60 pontos (foram 61) contra os Pistons, fora de casa, na vitória por 125-120 na prorrogação.

Mesmo anotando muitos pontos e atingindo sua maior média de pontos em uma temporada na carreira (37,1) fazendo mais de 3000 pontos no total, conquistando seu primeiro título de cestinha da temporada, a equipe de Illinois não engrenava.

Com isso, Chicago terminava com uma campanha negativa (40-42) e novamente, seria varrido (3-0) pelo Celtics de Larry Bird na primeira rodada.

Entrando Para a História (1987-88)

No ano seguinte, Chicago faria uma troca no draft daquele ano, mandando seu pivô que havia recrutado, Olden Polynice, para os Sonics,  e em troca recebia a escolha de Seattle, o ala Scottie Pippen.

Com essa adição, mais a escolha de Horace Grant no mesmo draft, o time começava a ganhar corpo para brigar com os gigantes da liga, e não se limitar apenas a MJ.

Em 29 de Janeiro de 1988, Michael conseguiu um raro double-double, em pontos (32 pts) e roubos de bola (10 stl, seu carrer-high nesse quesito), contra os Nets. Vitória dos Touros nesse jogo por 120-93.

No jogo seguinte, contra os Knicks, após levar um toco de Patrick Ewing nos minutos finais de um jogo enroscado, Michael dá o troco em cima do pivô, protagonizando um dos maiores blocks da história da liga.

michael-jordan-1988-slam-dunk-contestNesse ano, o All-Star Weekend aconteceria em Chicago, casa de Michael Jordan, e nele, o tão aguardado embate entre os dois maiores dunkers da história da NBA: Jordan e Wilkins. Com uma performance perfeita, Jordan (foto) bateria o rival no que para muitos é considerado o maior duelo da história do concurso de enterradas.

mj-1988-all-star-mvpNo jogo das estrelas desse ano, Michael recebeu o seu primeiro MVP do evento (foto). Com apoio da torcida local, MJ anotou 40 pontos, segunda maior marca da liga, atrás apenas de Wilt Chamberlain (42 pts), dono da maior marca da história do jogo festivo.

Ao lado de Pippen, Grant e Charles Oakley, os Touros começavam a dar grandes sinais de melhora, e isso acabou provocando o nascimento de seu maior rival na NBA: os Bad Boys de Detroit.

Tudo começou no dia 3 de Abril de 1988. Os Bulls venceram os Pistons por 112-110 com uma grande partida de Michael (59 pts, 6 ast, 4 reb, 2 stl, 2 blk). Após o jogo, Chuck Daly, treinador dos Pistons, disse que não queria ser humilhado dessa maneira novamente, e então surgiram os Bad Boys, que para conter Chicago, duplicavam e às vezes até triplicavam a marcação em cima de MJ, principalmente quando ele entrava no garrafão. Com direito a safanões e se possível, brigar fisicamente quando fosse necessário.

Mesmo com tudo isso, Jordan não se intimidou e pela primeira vez desde chegou a Illinois, o time da cidade dos ventos terminava com uma campanha positiva (50-32).

Michael Jordan, com mais uma temporada exuberante, atingindo médias de exatos 35 pontos, além de carimbar seu segundo título de cestinha da temporada, conseguiu um feito: se tornou o primeiro jogador a conquistar o MVP (melhor jogador da temporada, primeiro da carreira) e ser eleito o melhor jogador defensivo no mesmo ano, alcançando médias de 3,5 roubos de bola e 1,6 tocos por partida. Para termos ideia, apenas Hakeem Olajuwon em 1994 conseguiu igualar o camisa 23, e de quebra, conseguiu o título de melhor jogador das Finais da NBA daquele ano.

Nos playoffs, os Touros finalmente passariam da primeira fase. A vítima: os Cavaliers em cinco jogos (3-2).

Na semifinal da conferência, seria batido pelos Pistons também em cinco jogos (4-1), e mais uma vez, fica pelo caminho.

Quebrando Tudo (1988-89)

Nessa temporada, Jordan abusou. Dos 81 jogos que fez na temporada, ele terminou 26 deles com um double-double.

Sem contar os jogos com triple-double. Foram 15 td’s, sendo que 7 deles foram de formas CONSECUTIVAS. São eles:

  • 25/3/89 – @ Sonics (V 111-110): 21 pts, 12 reb, 12 ast;
  • 28/3/89 – vs. Warriors (V 115-106): 33 pts, 12 reb, 11 ast;
  • 29/3/89 – @ Bucks (V 106-102): 32 pts, 10 reb, 10 ast;
  • 31/3/89 – vs. Cavaliers (D 109-100): 37 pts, 10 reb, 10 ast;
  • 2/4/89 – vs. Nets (V 106-95): 27 pts, 14 reb, 12 ast;
  • 4/4/89 – vs. Hornets (V 121-101): 33 pts, 10 reb, 12 ast;
  • 6/4/89 – @ Pistons (D 115-108): 31 pts, 13 reb, 10 ast.

Além dessas, Jordan chegou perto de um quadruplo-duplo, na partida contra o Celtics. Nesse jogo, MJ conseguiu 42 pontos, 9 rebotes, 11 assistências e 9 roubos de bola. Vitória da equipe de Illinois por 110-104.

Mais duas considerações a se fazer da temporada de Jordan em 1989. O primeiro, foi alcançar a marca dos 10000 pontos no jogo contra Philadelphia no dia 25 de Janeiro. E o segundo, foi seu carrer-high em assistências (17) na vitória contra Portland por 128-113, no Oregon, em 24 de Março de 1989.

No final da temporada, não foi eleito o MVP, mesmo com excelentes atuações, mas garantiu o tri-campeonato de cestinha da temporada, com média de 32,5 pontos, além de garantir suas maiores médias em rebotes e assistências na carreira: 8,0 em ambos os quesitos.

over-ehloMais uma vez garantido nos playoffs, mas com uma campanha levemente pior que a da temporada passada (47-35), os Touros enfrentariam os Cavaliers de Mark Price sem o mando de quadra. Em uma série muito equilibrada, Chicago perdia por um ponto no jogo 5 (7/5/1989), há 3 segundos do fim, quando MJ (44 pts, 9 reb, 6 ast) recebeu o passe da lateral e correu até a linha de lance livre e arremessou na cara de Craig Ehlo (foto), para protagonizar uma das grandes jogadas da NBA: o The Shot.  3-2 para Chicago na série.

Com a classificação, os Knicks de Ewing seriam o próximo adversário. No jogo 1, Jordan anotaria seu primeiro triplo-duplo em pós-temporada (34 pts, 10 reb, 12 ast) e os Touros venceriam a série em 6 jogos (4-2) e na final da conferência leste, o adversário era Detroit.

Com os Bad Boys em alta, Chicago foi eliminado em cinco jogos (4-1), e viu seu grande rival, erguer o título de campeão da NBA em 1989.

Ano Novo – Velhos Problemas (1989-90)

phil-jackson-and-michael-jordanO time está de comando novo: Phil Jackson (foto, a esquerda) assume o cargo de técnico de Chicago, com a missão de levar o time ao título, e logo de cara, surtiu efeito.

Os Touros conseguiram a melhor campanha de sua história até então, com 55 vitórias em 82 jogos.

Mudanças a parte, Michael conseguiu seu carrer-high em bolas triplas arremessadas (12) e convertidas (7) contra Golden State, na vitória por 132-107, no dia 18 de Janeiro de 1990.

michael-jordan-number-12No dia dos namorados norte-americano, 14 de Fevereiro, do mesmo ano, Chicago viaja a Flórida para encarar o Orlando Magic, com um porém. Sua camisa com o número 23 havia sido roubada dos vestiários, e ele teve que jogar com a camisa 12 (foto), e fez uma baita partida, anotando 49 pontos em cima do Magic. Mas Chicago acabou derrotado na prorrogação, por 135-129.

No dia 28 de Março, Michael voltaria ao Cleveland Coliseum para aprontar mais uma. No mesmo jogo, conseguiu dois carrer-highs: em rebotes (18) e em pontos (69) na vitória de Chicago sobre os Cavs por 117-113 na prorrogação. Até então, era a segunda maior marca da história da NBA, atrás do jogo dos 100 pontos de Chamberlain. Anos depois, dois jogadores quebrariam a marca de MJ. O primeiro, foi David Robinson (71) no dia 24 de Abril de 1994. O segundo, foi Kobe Bryant (81), no dia 6 de Janeiro de 2006.

Mais uma vez, Jordan leva o prêmio de cestinha da temporada (33,6 ppg) e lidera a liga novamente em roubos de bola (2,8 spg).

Na pós-temporada, Bucks (3-1) e 76ers (4-2) foram os adversários batidos, até chegar novamente na final do leste contra os Pistons. E em uma série equilibrada, Detroit precisou de um jogo 7 para eliminar Chicago (4-3).

Depois dessas temporadas, os EUA passaram a conhecer MJ, e saberiam que um dia, seu trabalho seria coroado com um título. Ganhá-lo, era questão de tempo.

Anúncios

10 comentários em “Michael Jordan 50 Anos – Ascensão Nacional

Adicione o seu

  1. Muito boa a série pessoal, no aguardo para a próxima. Legal matérias assim, principalmente para os mais novos que não puderam acompanhar ( eu mesmo não acompanhei toda essa primeira fase do maior de todos).

    Só uma coisa que deve estar errada ou confusa, na temporada 86/87 o texto fala em dado momento que:

    Pós-ASG, Jordan anotaria mais dois carrer-highs: o de lances livres cobrados (27) e convertidos (26), sem contar que ali, até então, anotaria sua maior marca em pontos na carreira (58 pts) na vitória dos Bulls por 128-113 contra os Nets…

    Deve estar faltando alguma palavra, pois não tem como esses 58 pts ser carrer high até então se ele já havia feito os impressionates 63 contra o Celtics na temporada passada.

    1. Fala Gael.

      Então, no caso do carrer-high é da temporada REGULAR, já que os playoffs seriam um campeonato a parte.

      Tanto é, que nos jogos do NBA 2K, a parte de temporada regular e pós-temporada, são separadas (ver team records nos modos My Player e Association).

      Vou corrigir o erro.

      Obg e abs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

WordPress.com.

Acima ↑