Lance Livre – “Por que?”

Ao analisar a partida entre Bulls e Knicks e ver a atuação de Chris Duhon, me veio uma pergunta: por que DuhonTyson Chandler não deram certo em Chicago? 

A história de Tyson Chandler em Chicago sempre foi polêmica. O jogador veio em 2001 numa troca que mandou o bom Elton Brand para o Los Angeles Clippers. Brand era o cestinha e o maior reboteiro da equipe. Graças às cobranças que sofreu, Chandler nunca rendeu o esperado e, nos playoffs de 2005-06, o jogador foi humilhado por Shaquille O’Neal, que na época estava no Miami Heat. Logo depois, acabou indo para o New Orleans Hornets.

Já Chris Duhon veio no draft de 2004 na segunda rodada, no mesmo ano que o Bulls escolheu Ben Gordon e conseguiu comprar Luol Deng do Phoenix Suns. Duhon sempre foi reserva de Kirk Hinrich e nunca conseguiu ser titular, jogava em torno de 24 minutos por jogo, acabou optando em ir para o New York Knicks no final do seu contrato.

O que chama atenção nos dois casos que ambos “estouraram” nas novas equipes. Tyson é uma das peças mais importantes do time, é principal reboteiro e sua média de pontos subiu significamente. Faz uma ótima parceria com excelente armador Chris Paul. Duhon, que na última temporada tinha médias de cinco pontos e quatro assistências, virou titular em Nova York  e agora tem médias de 12 pontos e oito assistências por partida.

Fico me perguntando: será que o problema é dos jogadores? Sistema tático? Filosofia da equipe?

Acredito que todos virão a concordar que a primeira opção não é a mais correta. Algumas vezes, os jogadores decepcionaram, mas acredito que um fator de maior peso poderá responder a nossa tese em ralação ao assunto abordado. Alguns dirão que Chris está jogando muito devido ao esquema suicida do treinador Mike D’Antoni, mas será só isso? E o Chandler?

O fato é que os grandes responsáveis pelo fracasso são a diretoria e comissão técnica, pois não procuraram conhecer o jogador completamente (tempo não faltou para isso) e saber o que explorar de cada um em prol do time. Se Chandler e Duhon não se enquadravam na filosofia do time, por que foram escolhidos?

Fica claro que a atuação dos jogadores acima citados nas novas equipes demonstra que Chicago não tem nenhuma filosofia e que parece mais time de futebol brasileiro que NBA. Para confirmar a tese, nos anos seguintes, qualquer torcedor sabe que o time precisa de um jogador de garrafão com uma característica mais ofensiva. Paxson então resolver contratar Ben Wallace, com um salário monstruoso e ainda escolhe nos drafts Tyrus Thomas e Joakim Noah, atletas com vocação defensiva. Como explicar?

O mais incrível é que no ano passado, a direção contratou Mike Brown, que tinha como função treinar os nossos pivôs. Mas, neste ano, o seu contrato não foi renovado. O resultado todos sabem. Coincidência ou incompetência?

A resposta eu deixo com vocês…

Anúncios

7 Respostas para “Lance Livre – “Por que?”

  1. O problema do CHandler não foi outro senão com ele mesmo…. teve tooooodas as chances e nunca passou de um limitado… um Tyrus Thomas da época.

    o Duhon é um armador de mediano a bom. Um Derrick Fisher que centraliza mais a bola e sabe distribuir mto bem.

    Gosto dele. Mas essa aparente explosão não é muito mais do que a famosa maquiagem que o Run And Gun dá nos jogadores….

    Algo parecido ao Shaw Marion, que vc gosta tanto Marcos, mas que não passa de um jogador limitado travestido de all star em um esquema onde qualquer velha de muleta parece ser craque. E que logo deve sser quicado de Miami.

  2. se ambos tivessem na equipe…o duhon seria 3º reserva e o chandler seria muito muito útil, mas nem vale a pena tentar trazê-lo, melhor outro cara que tenha vontade de crescer na liga, tipo chris kaman.

  3. Eu sou mto fã do Chandler. Sei do seu potencial. Ele n deu certo em Chicago pq simplesmente n deu certo. Mas n deveria ter saido do time.

    Q tal de Paxson é burro.

  4. Danton, o Marion é melhor que qq ala do Bulls. Mole, o problema é ue ele não tá bem este ano mas, se vc olhar os seus números vc verá que além de uma média de 18 pontos e 10 rebotes, nada mal para um “mediano”.

  5. Como disse Marcos, a maquiagem do Run And Gun….

    É a mesma coisa que dizer que Nate Robinson, Kentin Richardson e Wilson Chandler, 3 jogadores para os quais o título mediano é um elogio, são craques.

    Marion saiu de Phoenix, com um super elenco, indo pra um time com um elenco ridículo, dizendo que finalmente se daria bem jogando bem na posição em que sabe jogar, a posição 3.

    E o que eu vejo é um dos salários mais altos da NBA jogando de 3 e não fazendo nada. Enquanto que o Beasley que quando joga de 3 dá show, tem que ficar improvisado de 4 com 6-8 de altura….

    Fatos comprovam, veja o que é a carreira do Marion depois de sair do Run And Gun…

    E sobre a comparação ao nosso elenco, Nocioni é muito mais jogador que Marion, não é nenhum deus, mas tem muito mais técnica de arremesso, visão de jogo, com uma uma defesa ao mesmo nível.

    Eu gosto do Marion, mas basta ver o desempenho atual dele. Ele tem jogado tanto quanto o Deng. E se esse já recebe críticas por ganhar 12m pelo que joga, não posso rasgar de elogios o Marion que ganha 17m.

  6. Em relação ao Marion eu discordo ao Danton pois, ele já está a 10 anos na NBA e os sua melhor fase foi no ano anterior ao Mike D’Antoni agora, é fato que mesmo com Dantoni, as suas médias cairam.
    Agora o Nocioni não é melhor mesmo que Marion, os números são claros, mesmo na má fase. E como a fase é ruim, quem sabe não se consegue um contrato mais baixo p/ ele no futuro…

  7. Pingback: Disputado « Chicago Bulls Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s